3RHsec: Tecnologia, Inovação e Solução em SST e Meio Ambiente

Tendências das Redes de Vigilância Acústica

O monitoramento contínuo permite avaliar com exatidão o perfil das emissões sonoras e avaliar com respaldo técnico e normativo o grau de incômodo previsto em função do número de pousos e decolagens estimados na vizinhança, isto é, no entorno em função do período normativo das operações de laudo e decolagem licenciadas. Neste contexto, recomenda-se para garantias legais, de controle e prevenção como medida mitigadora a instalação de uma estação de monitoramento contínua de vigilância dos níveis monitorados normalizados diários, contemplando as sugestões do EVAL.


Estação de monitoramento atendem perfeitamente como medida compensatória para a comunidade, possibilitando que a vizinhança tenha acesso aos níveis normalizados da área durante a semana e em diferentes períodos com valorização do logradouro, fornecendo ainda dados técnicos para atender projetos de engenharia civil e de tráfego urbano visando o bem-estar e a qualidade de vida.

A NBR 10152, por exemplo, destaca no seu corpo normas complementares como ISO 16032: 2004 que especifica métodos para medir o nível de pressão sonora produzido por equipamentos de serviço conectados ou instalados em edifícios. Ele cobre especificamente as medições em instalações sanitárias, ventilação mecânica, equipamentos de serviço de aquecimento e resfriamento, elevadores, calhas de lixo, caldeiras, sopradores, bombas e outros equipamentos auxiliares de serviço e portas de estacionamento motorizadas, mas também pode ser aplicado a outros equipamentos conectados para ou instalado em edifícios. Os métodos são adequados para salas com volumes de aproximadamente 300 metros cúbicos ou menos em, e. residências, hotéis, escolas, escritórios e hospitais. A norma não é, em geral, destinada a medições em grandes auditórios, como salas de concerto. No entanto, as condições operacionais e os ciclos de operação do Anexo B podem ser utilizados em tais casos. O nível de pressão sonora do equipamento de serviço é determinado como o nível máximo de pressão sonora ponderado A e, eventualmente, ponderado C que ocorre durante um ciclo de funcionamento especificado do equipamento de serviço em ensaio ou como o nível de pressão sonora contínuo equivalente determinado com um Tempo de integração. Os valores ponderados por A e C são calculados a partir de medições de banda de oitava.


No site ambiência acústica da 3R Brasil Tecnologia Ambiental, são apresentadas tecnologias e processos de medição que deveriam ser implementados próximo a aeroportos e heliportos como medida de controle e prevenção (clique aqui).


Também destaca a NBR 16425:2016: Acústica - Medição e avaliação de níveis de pressão sonora provenientes de sistemas de transportes - Parte 1: Aspectos gerais.


Your content goes here...

Efeito da exposição ao ruído noturno de aeronaves sobre função endotélio/endócrina e liberação de hormônio do estresse em adultos saudáveis.

Estudo: Received 31 January 2013; revised 6 June 2013; accepted 20 June 2013, European Heart Journal doi:10.1093/eurheartj/eht269

 

A OMS estima que nos países da Europa Ocidental de renda mais alta (impacto em população 340 milhões), pelo menos 1 milhão de vida saudável são perdidos todos os anos devido ao ruído ambiental. Os resultados negativos do ruído para a saúde incluem aborrecimento, distúrbios do sono, doenças cardiovasculares e comprometimento do desempenho cognitivo em crianças. O ruído da aeronave demonstrou ser mais irritante do que o ruído rodoviário e ferroviário no mesmo nível de ruído equivalente.


Estudos epidemiológicos demonstraram associações entre a exposição a longo prazo ao ruído da aeronave e um aumento da incidência de hipertensão arterial e, portanto, doenças cardiovasculares.Os mecanismos relacionados a esses efeitos cardiovasculares adversos de emissões sonoras de aeronave não são totalmente compreendidos.


A exposição noturna ao ruído parece ser mais relevante para a gênese de doenças cardiovasculares do que a exposição diurna ao ruído. Provavelmente devido a repetidas excitações, por exemplo, excitações corticais. Em geral, o risco aumenta com a duração da exposição e é maior naqueles que decidem dormir com as janelas abertas.

População estudada referente a este estudo:


O estudo envolveu 75 não fumantes saudáveis ​​entre 20 e 60 anos de idade. Antes do estudo, a audiometria foi realizada em todos os participantes. Pessoas com perda auditiva devido a presbiacusia, devido a idade em torno de 20 dB ou mais em uma ou ambas as orelhas foram excluídas do estudo. Indivíduos com distúrbios do sono [pontuação 0,10 no Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (PSQI)] ou distúrbios psiquiátricos (avaliados por M.I.NI forma excluidos nesse contexto, sem avaliar os agravantes desse grupo.


Os participantes do estudo foram instruídos a abster-se de consumir café, chá, álcool, medicamentos que alteram o sono e nicotina no dia anterior à noite do estudo. Contudo,s foram instruídos a continuar com a dieta e as rotinas diárias. A contracepção hormonal foi permitida, mas foi tomado cuidado para sincronizar as noites de estudo com o status hormonal. Outras terapias hormonais foram excluídas.


Veja os resultados desse estudo: clique aqui